logo
barraCinza
barraBranca

Duzentos anos de Oktoberfest

Por Lauro Patzer

 

A Oktoberfest já está em andamento em Munique. Começou no sábado passado, dia 20 de setembro. Já na manhã do primeiro dia, milhares de pessoas se reuniram em frente às tendas do evento. O número de visitantes era tão grande que, mesmo antes da abertura oficial, muitas tendas tiveram que fechar por superlotação.

A capital da Baviera iniciou a 180ª edição da Oktoberfest, maior festa popular alemã. Abriu com o desfile tradicional, música e trajes típicos fazem parte do evento, que deve atrair seis milhões de visitantes até 6 de outubro. Somente da Itália, na festa do ano passado, vieram 500.000 mil turistas.

   Dois campeões mundias e craques do Bayern: o goleiro Manuel Neur e Schwansteiger ao lado das namoradas

 

O Oktoberfest é um negócio lucrativo para a capital bávara. No ano passado, os consumidores de cerveja deixaram na cidade um total de 1,1 bilhão de euros. Deste total, 400 milhões de euros foram para o setor hoteleiro.

Tudo é gigantesco na festa. Nos 345 mil metros quadrados da chamada de área em que a comemoração acontece, 141 empresas participam do negócio em grandes tendas com música, comida típica e muita cerveja. A maior delas abriga até 10 mil pessoas.

Segundo a Deutsche Welle, para servir a multidão, 13 mil pessoas trabalham durante os dias do acontecimento. Na edição do ano passado, os visitantes beberam cerca de 6,9 milhões de litros de cerveja, acompanhados por 509 mil frangos assados, mais de 115 mil salsichas, quase 59 mil joelhos de porco.

   Chopp sem limites e com muitos cantos

 

A abertura da edição 2014 obedeceu a tradição. O prefeito da capital bávara, o social-democrata Christian Ude, abriu pontualmente ao meio-dia, sábado, dia 22 de setembro, a golpes de martelo, o primeiro barril da bebida mais adorada do país, com a tradicional frase "O'zapft is" ("o barril está aberto"). Também seguindo a tradição, o primeiro gole de cerveja foi para o chefe do governo da Baviera, o conservador Horst Seehofer.

          O prefeito de Munique, rigorosamente às 12 horas, abriu o barril simbolizando o início da Oktoberfest

 

O casal de turistas para se adequar ao clima não pode dispensar o uso do Dirndl, vestido típico da mulher e a Lederhose, calça de couro típica do homem. Se ela for a esposa,  o nó da amarra do avental é feito no lado direito. Se ela é solteira ou namorada, o nó fica no lado esquerdo. E  claro, todos empunhando o canecão de chopp sob o ritmo das bandas tradicionais.

     Uma festa também para jovens de vários países europeus

 

Na história dos 200 anos da festa, há o registro do participante mais famoso nos preparativos, por exemplo, é Albert Einstein, que chegou a instalar lâmpadas numa estande porque os pais tinham uma empresa de artigos de eletricidade.

Somente o carnaval brasileiro poderá servir como comparativo das dimensões da Oktoberfest na Alemanha.

Não esquecendo, que a festa é anualmente reprisada na Austrália, Estados Unidos Filipinas, Japão, China e no Brasil com a mais tradicional em Blumenau. Para quem é gaúcho, poderá sentir um gostinho da festa Santa Cruz do Sul.

     Oktoberfest 2014, em Manilla, nas Filipinas, comprova a sua internacionalização

 

 

Fonte fotos e dados: Deutsche Welle, Die Welt, Bild, Die Zeit. Veja os vídeos nos endereços abaixo: https://www.youtube.com/watch?v=tb2HrIollc8     https://www.youtube.com/watch?v=qHX34uMNXQ8   https://www.deutschland.de/de/news/asiaten-lieben-das-oktoberfest

 

 

Alemanha - Folclore alemão - Munique - Oktoberfest

institucional anuncie contato