logo
barraCinza
barraBranca

Um projeto que incentiva a leitura de livros

Um projeto que incentiva a leitura de livros

 

Por Themis Pereira de Souza Vianna

 

 

O bom exemplo precisa ser imitado. Falo do projeto da professora Marilete Marcon Sartori, do Colégio Estadual Visconde de Bom Retiro, de Bento Gonçalves, RS. Ela está coordenando uma bela iniciativa com o tema Clube do Livro Bom Retiro. O objetivo do projeto é o de encarar um dos problemas cruciais entre os estudantes, e, de forma geral, de toda a população brasileira: a falta de leitura de livros.

Para Marilete, o ensino de hoje, deve deixar de lado as desculpas em relação à leitura e procurar, de forma veemente, estimular o amor pelos livros. É impossível ensinar técnicas de redação a alunos que não leem, segundo uma afirmação desse plano.

O distanciamento dos alunos em relação aos livros é muito grave. A falta de leitura sólida e sistemática enfraquece a visão geral e, ao mesmo tempo, reforça a mais fatal tendência humana: a de evitar o aprofundamento da realidade, optando pelo imediato e superficial. O exemplo disso é o “internetês” com o seu verdadeiro estupro da ortografia. O kdê, por cadê; o Flw, por falou; ksa, por casa; oj, por hoje; kbeça, por cabeça... e, por aí segue o defloramente vocabular. Dessas repetições resulta o desastre quando alguém pega uma caneta e um papel em branco e precisa escrever algo sem um dicionário ao lado e muito menos o corretor ortográfico da mídia eletrônica.

A única forma de combater a tendência consiste em intervir com maior vigor na sala de aula, incentivando a leitura de livros e a concomitante estimulando a prática redacional.

Sendo difícil ou quase impossível ensinar redação a alunos, é preciso semear algo no íntimo deles para que sintam a importância de escrever corretamente, o que se torna possível com muita leitura.

Mas a leitura de livros não é apenas para escrever bem. É também para ação de adquirir conhecimentos gerais e ampliar o conteúdo intelectual. Pois os desprovidos de orientação literária, perderam a noção de profundidade de todos os fatos sociais.

Após essa exposição, dá para perceber a importância do projeto da professora Marilete Marcon Sartori, olhando para os objetivos dessa iniciativa:

Expandir o conhecimento literário dos participantes do Clube, por meio de debates e produção de resenhas.

Apresentar um novo contato com a leitura, de maneira cativante, ao público alvo e unificar o grupo, por meio da criação de grupo e página em redes sociais.

Envolver a comunidade escolar em atividades culturais, fora do espaço da escola (Feira do Livro de Porto Alegre, livraria Dom Quixote), a fim de partilhar experiências e conhecimento.

Expandir as atividades para públicos extraescolares, gerando a imersão de pais, funcionários, ex-alunos, e empresas parceiras no projeto. 

Promover a mobilização de parcerias com entidades empresariais no apoio ao projeto, por meio da Campanha Adote Um Livro.

Para operacionalizar o projeto, a proponente sugere:

Contato com Alunos, Professores, Pais, Funcionários, Ex-alunos e Direção,  propondo participação no projeto.

Divulgação do Clube do livro na escola, através de grupo no Whatsapp, grupo e pagina no Facebook.

Viabilização de livros dos escritores, Airton Ortiz e Rogério Andrade Barbosa, necessário para a realização do projeto.

Preparo do espaço para a realização do encontro e disponibilização de recursos materiais

De minha parte, aplaudo a iniciativa. O alicerce da leitura de livros que propõe valores como família, amabilidade, honra, honestidade, seriedade, comprometimento, cumprimento do dever e respeito, com certeza, alicerça a civilização e a ordem democrática de um povo. Esses valores precisam ser resgatados.

Seria uma contribuição de médio a longo prazo de combate à corrupção generalizada que nosso país vive.

Incentivar o hábito de leitura e estimular o amor pelos livros, consiste em mudar de um modo de vida para adotar outro modelo. Essa mudança é tudo. Ela pode começar quando os livros reconquistarem o seu lugar na vida estudantil.

 

A professora Marilete informou:

"A livraria Dom Quixote é nossa parceira no projeto e o autor principal a ser trabalhado é Airton Ortiz, mas vamos trabalhar também com o escritor Rogério Andrade Barbosa do Rio de Janeiro. Ele já confirmou a sua presença durante Feira em POA, sobre a Cultura Africana com os alunos. 

 

Literatura - Livro

institucional anuncie contato